Apelo à ação de Make Rojava Green Again para os dias 18 e 19 de julho

Apelo à ação de Make Rojava Green Again para os dias 18 e
19 de julho

Rise Up 4 the Revolution

Em unidade com as campanhas Rise Up 4 Rojava e Women Defend Rojava, fazemos o apelo para
dois dias de ação internacional nos dias 18 e 19 de julho de 2020, contra os bombardeamentos e a
invasão de Basûr (Curdistão do Sul, Iraque) e a ocupação de regiões de Rojava pelo exército
turco. Unidos, apelamos a todos aqueles que partilham os valores do confederalismo democrático
– democracia, ecologia e feminismo – para saírem às ruas e Rise Up 4 Revolution. Da nossa parte,
também apelamos em particular a todos os grupos, movimentos e partidos ecológicos e a todas as
pessoas que se veem e sentem como ecologistas a se juntar às demonstrações e ações.

Guerra é a antítese de ecologia:
Acreditamos que ser um ecologista também significa ser contra todas as guerras de agressão. Isto
porque as guerras são o oposto daquilo que nós, enquanto ecologistas, lutamos por. Enquanto nós
tentamos construir um mundo ecológico e ético no qual todos os seres vivos possam coexistir em
harmonia, as guerras apenas destroem e poluem ainda mais o nosso planeta. Enquanto nos
esforçamos tanto para reflorestar desertos, construir infraestruturas energéticas ecológicas, em
fazer chegar a todas as pessoas água limpa e comida saudável, as guerras destroem todos os
nossos esforços numa questão de dias e poluem o solo, o ar e a água com efeitos de longa
duração. É isso que está a acontecer hoje em Bakûr (Curdistão do Norte, Turquia), Rojava,
Nordeste da Síria e Basûr. Com a sua invasão da Síria e do Iraque, o Estado Turco destrói toda a
vida: queima campos e florestas em Rojava, abate as oliveiras de Afrin, bombardeia
infraestruturas elétricas e hídricas, corta o curso da água dos grandes rios que vêm da Turquia
para a Síria e, desde há umas semanas, tem vindo a, mais do que nunca, bombardear a natureza
intocada das montanhas do Curdistão do Sul, poluindo o solo, água e ar por um valor de tempo
indeterminável.

Os ataques turcos visam todos os que lutam por democracia, ecologia e feminismo:
Desde há anos, o Estado Turco, com a aprovação ocasional da NATO, dos Estados Unidos e da
Rússia, exerce uma guerra genocida contra os curdos e outras minorias do Médio Oriente (o povo
Yazidi, arménios, caldeus, assírios, etc.) e agora invade a Síria e o Iraque, em oposição a todas as
leis internacionais. Mas o que eles visam destruir é o projeto político construído por esses povos:
o seu objetivo é pôr fim à construção de uma área democrática, ecologista e feminista no Médio
Oriente que se espalharia pelo mundo. Na verdade, a revolução de Rojava, unida com as regiões
libertadas árabes no nordeste da Síria, as Montanhas Livres do Curdistão, o campo de refugiados
autogovernado de Maxmur e a região democrática Yazidi de Sengal são todos exemplos de que uma
outra maneira de viver é possível fora da modernidade capitalista. Todos esses são lugares onde o
confederalismo democrático é colocado em prática e onda sociedades ecológicas e feministas se
constroem. Como Rojava e todos esses sítios inspiram tantas pessoas pelo mundo, eles constituem
uma ameaça aos seus interesses nacionalistas, capitalistas e patriarcais. É por isso que a Turquia
decidiu bombardear e queimar cada centímetro dessas terras. A sua mensagem é clara: rendam-se à
modernidade capitalista ou enfrentem a destruição total da vossa natureza e povo.

No dia 15 de junho, o exército turco bombardeou Maxmur e Sengal. Alguns dias depois,
começaram a sua campanha ofensiva para invadir Basûr (Curdistão do Sul, Iraque), onde dezenas
de bombas caem todos os dias desde então. Dia 23, também atacaram Rojava com um drone
militar, assassinando três mulheres da Kongra Star, a organização geral do Movimento das
Mulheres, num bairro de Kobane. Dia 25, um outro drone matou 8 civis na província de
Suleymaniya. Nas montanhas, a guerra continua.

É por isso que apelamos à solidariedade internacional!
Pedimos a todas as pessoas que acreditem nos valores de ecologia, feminismo e democracia radical
que saiam às ruas nos dias 18 e 19 de julho para dias de ação e que se juntem às preparação destas
pelo mundo.

Contra todas as guerras de agressão, contra todos os fascismos e totalitarismos, contra o
patriarcado e o capitalismo, contra a destruição de toda a natureza:

Riseup for Rojava!
Riseup for the Free Mountains of Kurdistan!
Riseup for the Sengal region and Maxmur!
Riseup for the build-up of an ecological and ethical world!

Sozinhas, não somos nada, unidas, somos imparáveis!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *